Como controlar a COVID-19

Não, não é permitida a leitura de um livro numa bancada

Um comentário de Bernhard Loyen.

Estas semanas irão ocupar milhões de cidadãos nos próximos anos e décadas. Os acontecimentos em torno da chamada pandemia de Corona vão encontrar o seu caminho para as famílias e círculos de amigos da categoria – „lembram-se“ ou „quantos anos tinham na altura“. Esta semana, foi encontrada uma frase que ficará também na memória de muitos. Talvez a frase simbólica, relativa às medidas prescritas, o estado de espírito actual neste país, cito:

„Não, não é permitida a leitura de um livro numa bancada“.

É a resposta da polícia de Munique em 7 de Abril de 2020 (1). Durante uma discussão no Twitter, um cidadão irritado pediu os seguintes esclarecimentos, relativamente à explicação dada pela polícia, que cita: „O desporto, a caminhada e o exercício ao ar livre são permitidos, mas não são permitidas estadias mais longas em parques sem exercício (por exemplo, sentado em bancos de parque por um período mais longo, excepto para um breve descanso), a fim de contornar a restrição inicial (1). No debate em curso, o cidadão perguntou, citando: „Gostaria de ler um livro ao ar livre com o tempo bonito“ e, por isso, uma razão convincente? A resposta citada foi: „Não, não é permitida a leitura de um livro numa bancada“.

Em situações de crise, uma sociedade deve, na verdade, aproximar-se mais para determinar quem é o inimigo comum. Infelizmente, não é esse o caso neste momento, uma vez que um grupo cada vez mais crítico de cidadãos tem de se opor às orientações do Estado em relação à política de informação e de acção dos meios de comunicação social e, consequentemente, à correspondente contra-fracção de agentes indiretos existente. Já tinha declarado na dose diária de 2 de Abril que, actualmente, tenho mais respeito, ou seja, a preocupação com o comportamento, a obediência, a aplicação quase acrítica de muitas pessoas no que se refere ao catálogo de medidas Corona, do que o medo de um vírus.

De que resultam os meus receios, para além da experiência quotidiana?  Os relatórios estão a ser elaborados em conformidade. O MDR sabe relatar, cito: „A Corona manda“: A população comunica mais violações à polícia (2). O Frankfurter Rundschau escreveu, citando: „Só em Baden-Württemberg, houve 3000 reportagens privadas nos dois dias seguintes à violação da proibição de contacto.(3) O jornalista Jochen Bittner noticiou online que alguém tinha enviado a polícia atrás dele porque o carro da sua namorada estava estacionado à porta da sua casa, em Schleswig-Holstein – com matrículas de Berlim. No debate que se seguiu, outros utilizadores relatam que os vidros dos seus automóveis contêm folhas de papel que podem regressar „à sua residência registada“, guarnecidas com frases como: „Não são procurados aqui!

As autoridades também estão activas, ou seja, entregam, cito: „A polícia recolhe dados de pessoas infectadas com corona através de um parágrafo de emergência. Na Baixa Saxónia, a disputa sobre a transmissão de dados das autoridades sanitárias sobre pessoas que foram infectadas com o novo vírus corona e que estão, portanto, sujeitas a obrigações de quarentena está a entrar na ronda seguinte. A comissária estatal para a protecção de dados, Barbara Thiel, declarou esta prática desproporcionada e ilegal na sexta-feira. Contudo, os tutores da lei e da ordem pretendem agora também invocar um parágrafo de emergência para poderem continuar a figurar nas listas (4).

Tabaco duro. Podemos chamar a isto uma denúncia? Isto faz-nos lembrar os tempos mais negros das duas ditaduras negras em solo alemão. São estes os chamados métodos Stasi implantados nas últimas décadas e galardoados com um Óscar? Não, porque, e cito: não é razão para usar a palavra denúncia, diz a historiadora Anita Krätzner-Ebert, que faz investigação sobre os denunciantes na RDA. Ela diz que a denúncia se refere a ditaduras e ao passado histórico. „O termo „denúncia“ é muito fortemente cunhado. Eu não veria dessa forma o comportamento de denúncia em torno da restrição de contacto“. (2)

Será que esta declaração ainda pode ser verificada politicamente, ou seja, aprovada, por exemplo, por um candidato verde a chanceler? Robert Habeck foi entrevistado pela ZDF no dia 5 de Abril. Ele quer tranquilizar-nos a todos, cita: „Nós não vivemos numa ditadura“ (5). Sim, algumas medidas são difíceis, disse Robert Habeck na entrevista, porque a citação: „Os direitos básicos são, de facto, restringidos neste momento, é isso que se pretende. Decidimos utilizar o método do martelo por boas razões, a fim de evitar o colapso do sistema de saúde. Afirmou compreender as medidas policiais, após as correspondentes violações do catálogo de proibições da Corona. Além disso, o ouvinte estupefacto aprende, cito:

„Podemos pronunciar-nos contra as medidas sob qualquer forma“, diz Habeck. É assim?

Isto também se aplica a críticos constantes, como o Dr. Wolfgang Wodarg, cujo website foi retirado do ar pela segunda vez esta semana? Para o Dr. Bodo Schiffmann da Clínica da Doença de Sinsheim Dizzy, que agora teve o quarto vídeo da sua série Corona apagado do YouTube. Para o portal KenFM, os da empresa Steady, citam: „Juntamente com o Steady apoiamos os projectos sem os quais não queremos passar despercebidos. Dos media independentes aos podcasts, dos vídeos ao código fonte aberto. Porque um bom trabalho merece mais do que um Like (6), a cooperação foi terminada. Porquê? KenFM foi denunciado pelo chamado colectivo de artistas PENG! Citação: „Os editores podem sempre decidir quem querem ou não incluir“. Porquê, por favor, KenFM?

Isto causou incerteza no Steady. Hoje em dia isso é suficiente para rescindir um contrato, mas não os agentes da PENG! Também recomendaram ao banco da KenFM do GLS a separação destas pessoas ambivalentes, ou seja, o encerramento da conta (7). Mas os guardas dos meios de comunicação social do presente não estão interessados no facto de já terem sido recolhidos e utilizados 500 000 euros para a ajuda grega através desta conta. Quem perturba, deve ser destruído.

Aproximadamente ao colapso do sistema de saúde alemão mencionado por Habeck. Foi redescoberto, após anos de colapso crónico no terreno, mas mantendo a loja a funcionar, ou seja, na Alemanha. Redescoberto e reanimado pelos meios de comunicação social por causa das necessidades actuais. Não tem bom aspecto, o sistema permanece instável e com falta de ar. Para a fisioterapia mental, bastantes cidadãos apoiam o toque de recolher bem-comportado com fofocas irritantes de janelas e varandas abertas. É inútil, não ajuda ninguém, a não ser o perfil do Instagram e o momento de sentir bem as palmas.

Muitas pessoas sabem que existem sempre razões para as doenças e condições, mas infelizmente a maioria das pessoas continua a não estar interessada. Um estudo recente mostra que, entre 2011 e 2018, as autoridades competentes de Bruxelas fizeram nada menos do que 63 recomendações para reduzir os orçamentos da saúde em toda a Europa ou para privatizar o sector, no todo ou em parte (8). Os resultados são, evidentemente, bem conhecidos, mas estão agora a ser subitamente tomados em consideração pelos políticos, supostamente chocados. O sistema é subitamente elevado ao estatuto de ser extremamente relevante para o sistema e respeitosamente aplaudido. Por favor, tome nota para que o possamos lembrar! Citação: Ministro Federal do Trabalho Heil exige uma revisão do sistema de saúde alemão, na sequência da crise da Corona. O político do SPD disse ao jornal „Rheinische Post“ que é preciso responder ao facto de a saúde não poder ser um bem puramente baseado no mercado. Heil queixou-se de que alguns hospitais tinham sido salvos de rupturas. Importa agora discutir se não se deve gastar mais em saúde e cuidados numa base permanente (9). Promessas calorosas para a atenção dos meios de comunicação social. Se os presentes aplaudiram espontaneamente não foi, infelizmente, mencionado no artigo.

Por outras palavras, em termos de lobby sem quaisquer meios de resistência, quem tem mais poder? Política, realizando os desejos dos eleitores ou da economia e das suas associações de lobby, na sua maioria invisíveis, agindo em segundo plano? Aqui pode encontrar a acta de uma entrevista com Horst Seehofer, citação (10):

Na Alemanha, a lista positiva de medicamentos, tal como este projecto de 2003, fracassou repetidamente. O ex-ministro da Saúde Horst Seehofer teve de descobrir a razão. Hoje admite pela primeira vez: „A pressão do lobby farmacêutico foi demasiado grande.

Frontal21: Significa isso que o lobby era realmente tão forte nessa altura – o lobby farmacêutico contra a política – e que o senhor teve de se retirar?

Horst Seehofer: Sim, é isso mesmo. Durante 30 anos até ao momento em que mudanças estruturais significativas, também no sentido de uma maior economia social de mercado no sistema de saúde alemão, não são possíveis, devido à resistência das associações de lobbying .

Frontal21: (…) O lobby farmacêutico prevaleceu com uma pressão maciça.

Horst Seehofer: Só posso descrever-vos que é assim que as coisas são e que está a acontecer e muito eficazmente.

Frontal21: Mas não pode ser que a indústria seja mais forte do que a política. Por isso, no final, os políticos têm de dizer: „Não, não pode ser assim.

Horst Seehofer: Sim, não posso contradizer-vos.

Frontal21: A lista positiva falhou. Os medicamentos demasiado caros ou inúteis têm de ser pagos pelas companhias de seguros de saúde, porque o lobby farmacêutico assim o quer.

Será que os políticos desenvolveram agora novas estratégias para simplesmente não deixar as pessoas em questão voltar a entrar em casa, ou seja, para pôr um fim rigoroso a esta realidade? Em 19 de Abril de 2018, o canal oficial do Ministério Federal da Saúde twitterou o seguinte texto, citando: Visita do gigante do software Bill Gates hoje na casa de Jens Spahn. Os dois falaram de inovações nos cuidados de saúde e da importância das vacinas para os cuidados de saúde globais (11). Mais alguma pergunta?

Ouça a entrevista ligada a Bill Gates, na sequência das conversações com o nosso possível candidato a chanceler da CDU, Jens Spahn. O sorriso de Gates quase lhe cai da cara por pura satisfação e Jens Spahn não parece menos intoxicado. Ele formulou estas frases impressionantes como um resumo das conversações sobre o futuro, por exemplo, das aplicações de saúde, cito:

O pensamento lateral. Novo pensamento. Pense rápido. Sejam também corajosos e questionem as coisas. Ele se teletransporta como um estagiário bem comportado com conhecimentos recém-adquiridos, porque o Bill Gates, ele também transfere impulsos para a saúde. O que estas afirmações supostamente implicam, só se pode adivinhar, adquire lentamente um significado.

Por falar em aplicações de saúde. Há dois dias, o Instituto Robert Koch anunciou a mais recente arma contra o vírus corona, a aplicação de doação de dados (12). O que é suposto isto registar na ainda esperançosa luta contra a pandemia mundial?

Porque é que o chefe do RKI, Sr. Wieler, cita: „As aplicações digitais podem complementar de forma útil as medidas tomadas até à data para conter a COVID-19. Esperamos que muitas pessoas participem.

O Professor Oliver Amft, do processador de dados Digital Health, explica como funciona, citando: „Os dados dos sensores e smartphones gastos vão ajudar-nos a prever a propagação e contenção da COVID-19. Os indicadores de uma infecção por vírus a partir de dados de sensores são mais fiáveis do que a introdução manual dos sintomas da doença no smartphone“.

Que dados são recolhidos porque são supostamente necessários? Citação do site do RKI:

Actividades da pulseira de fitness registadas automática e manualmente, tais como Desporto (ciclismo, corrida), fases do sono e do sono, estar activo (por exemplo, caminhada, actividade), períodos de descanso.

Registo automático e manual dos dados vitais da pulseira de fitness, tais como Pulso, variabilidade da frequência cardíaca, stress, temperatura, peso, pressão arterial.

Dados sociodemográficos, se estes tiverem sido previamente introduzidos pelo utilizador na aplicação da pulseira de fitness: Idade (arredondado a 5 anos), altura (arredondado a 5 cm), sexo, peso

Mais importante ainda, para tranquilizar os participantes ainda voluntários no estudo de campo, os dados não permitem a identificação dos proprietários das aplicações. Isto ajuda, para que a aplicação possa reconhecer se o utilizador está doente? Citação do site do RKI: „A aplicação não é um teste para o vírus corona. Não reconhece se você está doente com a COVID-19. A aplicação reconhece vários sintomas que estão associados a uma infecção pelo vírus corona. Estes incluem um aumento do pulso de repouso (indicação de febre) e uma alteração dos padrões de sono e actividade.

Muito instrutivo ou colocado de outra forma – para que serve esta aplicação, para além da recolha de dados em massa? Sintomas que estão associados a uma infecção pelo coronavírus……poderia. O aumento do ritmo cardíaco em repouso pode ter muitas razões, deixo-o à vossa imaginação. O mesmo se aplica ao sono e aos padrões de actividade.

O facto de um dos principais investidores nesta aplicação ser um homem que levou dezenas de milhares de reformados deste país à ruína económica não é propriamente amplamente divulgado. O homem em questão é Carsten Maschmeyer (13). Os reformados estão a pavimentar o seu caminho. Em 2016, foi aprendido, cito: „Milhares de investidores investiram as suas poupanças com a ajuda do prestador de serviços financeiros AWD – e perderam dinheiro. Agora o fundador da AWD, Carsten Maschmeyer, está a demonstrar publicamente a sua simpatia. No entanto, continua a recusar-se a falar de culpa (14). Recomendo o documentário ligado ao belo título: The King of Triggers and Politics – The Career of AWD founder Carsten Maschmeyer , para não ficar surpreendido com os grupos criminosos que se encontraram e se encontram uns aos outros (15).

Existem preocupações de carácter técnico no que respeita à rápida inovação da RKI? Sim, a Stiftung Datenschutz informou anteontem, citando: „A minha autoridade ainda não recebeu uma versão acabada da aplicação „Corona Data Donation““, explica Ulrich Kelber, do BfDI, e espera detalhes mais concretos sobre o período de armazenamento e o nível de protecção de dados das interfaces (16). Uma vez que estes factos não são abordados nas notícias, o RKI congratulou-se ontem com o facto de 50.000 cidadãos já terem descarregado esta aplicação.

Como controlar a COVID-19 (17)

Há já algumas semanas que circulam boatos nos meios de comunicação social sobre um documento de estratégia com o mesmo nome. Encontram-se frases conhecidas, que a Chanceler Merkel, entre outras, já utilizou como lembrança, cita o capítulo Situação e Estratégia: „O vírus pandémico COVID-19 é o maior desafio para a política, a sociedade e a economia na Alemanha e na Europa desde o fim da Segunda Guerra Mundial. Até agora, tão pouco espectacular. Mas as 17 páginas são um desafio e tanto. Especialmente no que diz respeito aos cenários formulados e às correspondentes recomendações aos políticos.

Os quatro cenários teorizados são os seguintes:

Controlo rápido, regresso da crise, longo sofrimento, abismo.

Do mesmo capítulo saem orientações claras para a rota da marcha, cito: „O que fazer? 1) Comunicação: O pior caso, com todas as suas consequências para a população da Alemanha, deve ser esclarecido de forma inequívoca, decisiva e transparente.

2) Proximidade: Evitar o pior caso deve ser definido como um objectivo político e social central. Os políticos e os cidadãos devem agir como um só.

3) Compreensibilidade: os cidadãos devem poder compreender que as seguintes medidas devem e só podem ser aplicadas em seu benefício com a sua ajuda. a. Os contactos sociais devem ser reduzidos ao mínimo durante um determinado período de tempo (distanciamento social) e o fim destas medidas deve depender do efeito público compreensível destas medidas.

Na página 13, citação: „Para alcançar o efeito de choque desejado, os efeitos concretos de uma infestação na sociedade humana devem ser clarificados“. Agora, a cobertura mediática contínua pode ser explicada apenas por desenvolvimentos negativos, números de choque e cenários futuros sombrios. O artigo escrito contém uma ligação entre o artigo e o artigo. Leia-o, saiba como a Chancelaria e os centros de planeamento político pensam, ou deveriam pensar.

As questões do momento são saber até onde o Estado ainda quer ir. Quando é que os cidadãos começarão a reconhecer para poderem reagir. A maioria tem total confiança nas medidas, mas o cepticismo também está a crescer nos meios de comunicação social e as interrogações estão a tornar-se cada vez mais comuns. O FAZ relatou ontem, citando: „O cientista forense Klaus Püschel não tem grande apreço pela recomendação do Instituto Robert Koch de evitar as autópsias das mortes de Covid-19. A fim de compreender a doença, as autópsias são o melhor meio (18).

O mesmo cientista forense disse ao Hamburger Morgenpost em 06.04, citando: „Ninguém em Hamburgo morreu de Covid-19 sem doença prévia“. Este vírus influencia as nossas vidas de uma forma completamente excessiva. Isto está fora de qualquer proporção do perigo que o vírus representa. E os danos económicos astronómicos agora causados não são proporcionais ao perigo que o vírus representa. „Estou convencido de que a taxa de mortalidade da Corona nem sequer atingirá o pico da taxa de mortalidade anual…“ (19).

Agora Markus Söder pôs o pé em cima do livro e do banco, a fim de criar novamente frentes claras na mesma frase, citando: „É claro que se pode ler um livro sobre um banco. Isso não é problema“. Claro que isto deve ser feito a uma distância adequada dos outros – isto também significa que apenas uma pessoa pode sentar-se em bancadas estreitas (20). Ou seja, quem não obedecer a isso, está ameaçado com multas até 150 euros.

Citação: „Numa altura em que as instituições democráticas estão de novo a ser postas em causa aqui na Europa, quando os governos eleitos restringem a liberdade de opinião e a independência judicial, muitas pessoas no nosso país sentem a necessidade de defender a Lei Básica e de lutar pela nossa ordem básica.

Soa bem, não soa? Um pouco manso e formal, mas há linhas do discurso do nosso Presidente Federal Steinmeier de Maio de 2019, intitulado: „70 anos da Lei Fundamental – a Alemanha em boa forma? (21)

Não, nem sequer um ano depois, muitas pessoas podem experimentar, aprender e perceber que este país não está em boa forma neste momento. Fiquemos com o senhor deputado Söder. Ele é citado em 20.03., citando: „A Corona tem o nosso país firmemente agarrado“…São de esperar grandes ondas de infecções, na Alemanha talvez aos milhões. (22). Três semanas depois, às 9h04. Às 9h04, temos 113.296 infectados e 2349 mortos.

Que tal uma comparação diferente para estimar a magnitude em milhões? Cerca de 1,77 milhões de homens e mulheres entre os 18 e os 64 anos são dependentes do álcool na Alemanha (23). Todos os anos, ou seja, todos os anos, cerca de 70 000 pessoas morrem na Alemanha devido ao álcool ou ao consumo combinado de tabaco e álcool (24). Existem consequências e catálogos de medidas por parte dos políticos e o conhecimento destes números?

Não, mas os actuais resultados do inquérito de hoje sobre a Corona (25), cito: „Uma maioria de cerca de 56% dos cidadãos acredita que um abrandamento das restrições drásticas na vida quotidiana devido ao vírus corona a partir de 20 de Abril é demasiado cedo. Este é o resultado de um inquérito representativo da Civey para a revista „Business Insider“ (25). Por outras palavras, supostamente a cada segundo pessoa. Potencial de conflito para a sociedade.

Quem é o Civey? (26) A Civey é um membro activo da Associação Federal das Startups alemãs. Citação: „Estamos empenhados em fazer avançar a digitalização na Alemanha e em melhorar as condições-quadro para as jovens empresas (25).

Cidadãos, política, associações de lobbying. interesses.

Pensamento. Uma e outra vez, a pensar.

Querendo entender.

Fontes:

  1. https://twitter.com/PolizeiMuenchen/status/1247410417372221440
  2. https://www.mdr.de/nachrichten/panorama/corona-regeln-verstoesse-polizei-denunziant-100.html
  3. https://www.fr.de/panorama/blockwart-boom-13641319.html
  4. https://www.heise.de/newsticker/meldung/Polizei-sammelt-per-Notstandsparagraf-Daten-von-Corona-Infizierten-4698172.html
  5. https://www.zdf.de/nachrichten/politik/corona-habeck-exit-100.html
  6. https://twitter.com/Peng/status/1246175901123063815https://steadyhq.com/de
  7. https://twitter.com/Peng/status/1246506753677762560
  8. https://lostineu.eu/update-was-bruessel-so-alles-fordert/
  9. https://www.deutschlandfunk.de/corona-krise-arbeitsminister-heil-krankenhaeuser-wurden.1939.de.html?drn:news_id=1117156
  10. https://www.youtube.com/watch?v=7P73IVXGm9k&feature=youtu.be
  11. https://twitter.com/BMG_Bund/status/986969841977430016
  12. https://corona-datenspende.de/
  13. https://www.neues-deutschland.de/artikel/1135255.datenspende-app-dein-herz-schlaegt-fuer-maschmeyer.html
  14. https://www.focus.de/finanzen/boerse/nach-awd-anleger-debakel-ich-kann-die-wut-der-sparer-verstehen-maschmeyer-zeigt-mitleid-aber-keine-reue_id_5274149.html
  15. https://www.youtube.com/watch?v=X-fFocf8Xfs
  16. https://twitter.com/DS_Stiftung/status/1247547930736832519
  17. https://fragdenstaat.de/dokumente/4123-wie-wir-covid-19-unter-kontrolle-bekommen/
  18. https://www.faz.net/aktuell/gesellschaft/gesundheit/coronavirus/rechtsmediziner-viele-todesursachen-im-zusammenhang-mit-corona-16715816.html
  19. https://www.mopo.de/hamburg/rechtsmediziner–ohne-vorerkrankung-ist-in-hamburg-an-covid-19-noch-keiner-gestorben–36508928
  20. https://www.nordbayern.de/panorama/soder-stellt-klar-buch-auf-einer-parkbank-lesen-ist-erlaubt-1.10014158
  21. https://www.bundesregierung.de/breg-de/service/bulletin/rede-von-bundespraesident-dr-frank-walter-steinmeier-1632398
  22. https://www.euroherz.de/soeder-corona-hat-unser-land-fest-im-griff-6236406/
  23. https://www.aktionswoche-alkohol.de/presse/fakten-mythen/zahlen-und-fakten/
  24. https://www.n-tv.de/wissen/Deutsche-trinken-literweise-Alkohol-article20973890.html
  25. https://www.handelsblatt.com/dpa/konjunktur/wirtschaft-handel-und-finanzen-umfrage-mehrheit-gegen-lockerung-der-corona-massnahmen-ab-20-april/25729488.html?ticket=ST-1710291-CfMJ64D3KU1KsfdM47x7-ap5
  26. https://civey.com/ueber-civey/unsere-methode

+++

Obrigado ao autor por ter publicado o artigo.

+++

Fonte da imagem:  © B.Loyen /private

+++

A KenFM esforça-se por obter um amplo espectro de opiniões. Os artigos de opinião e as contribuições dos convidados não têm de reflectir os pontos de vista dos redactores.

+++

Gosta do nosso programa? Informações sobre outras possibilidades de apoio aqui: https://kenfm.de/support/kenfm-unterstuetzen/

+++

Agora também nos pode apoiar com as Bitcoins.

BitCoin endereço: 18FpEnH1Dh83GXXGpRNqSoW5TL1z1PZgZK

Hinterlasse eine Antwort